Saturday, March 21, 2009

Qualquer dia desses

Qualquer dia desses eu vou sair por aí. Chutar pedras na rua e perguntar: “O que foi? Nunca me viu?”. Vou sair por aí e não vou sorrir pra ninguém, nada de boa tarde, boa noite, bom dia, oi-como-vai-tudo-bem-obrigado. Porque nada vai estar bem quando eu sair por aí assim. Qualquer dia desses eu vou gritar com você na rua, eu vou mandar você para aquele lugar, porque de vez em quando dá vontade, viu. Qualquer dia desses eu vou sair por aí e andar no meio da rua, os carros que desviem! Vai começar a chover e eu não vou me esconder, não. Eu vou é cantar a noite toda na rua até você chegar e me abraçar, porque de vez em quando é bom, viu.
Qualquer dia desses eu vou sair por aí, vou bater na porta da sua casa e te levar comigo. A gente vai embora daqui e nunca mais volta. Ou volta se der vontade. Vem, vamos logo! A nave está esperando e a lua está cheia. Um dia desses eu ainda paro o relógio da vida e todo o tempo do mundo vai ser nosso. Não se preocupe, não haverá mais trabalho, chefe, prazo, telefone, família, vizinhos. Qualquer dia desses só haverá nós dois. Eu e você, você e eu. Se for só eu não dá certo. Então se prepara, porque qualquer dia desses eu te pego pra mim. E não vai ter mais jeito, você vai ser meu pra sempre. Qualquer dia desses.
Vou sair por aí um dia desses e entrar num ônibus. Vou chorar e rir ao mesmo tempo e ninguém tem nada a ver com isso. Vou parar em um lugar que nunca vi na vida, mas que tenho certeza que é o meu lugar. E vou estar sozinha, porque esse lugar é só meu. Vou pintar os lábios e as unhas de vermelho, pra combinar com o vinho. Vou sair e vou ver o sol nascer dentro de mim. Daqui de cima a vista é linda demais. E você não vai estar comigo. Porque teve medo.
Um dia... pode ser amanhã, ou depois, ou depois... vou comer um quilo de sorvete sozinha, pensando em você. Vou explodir e em cada canto do mundo vai ter um pedacinho de mim. Procurando por você. Vai ficar mais difícil, né?! Qualquer dia desses você vai sair por aí e não vai mais voltar. Porque você me encontrou. Qualquer dia desses... hoje não.
(Ana Elisa)

4 comments:

Brunno Hot said...

Independente se esse é o texto ou não, eu li, reli, lembrei de momentos maravilhosos e....chorei. Sempre choro ao lembrar de você, nao de tristeza nem de rancor mas choro de alegria e ao mesmo tempo de arrependimento por que qualquer dia desses nós podiamos ter nos abraçado, se beijado ou simplesmente nos visto. Eu simplesmente adoro te adorar e por mais que seja incerto te falar mas sempre estarei aqui me esperando para você. Bjs do paradoxo vivo.

Coisas da Fran said...

Ana! Achei seu blog e vou acompanhar! Também to com mania de escrever, será o mal de quem é formado em letras? hehehe! Como vai a vida por aí na Gringolândia?Bjo e sucesso!

Diego said...

Gripe, nariz entupido, garganta raspando =(
quero a minha mae, minha cama....

Anonymous said...

Ana, simplesmente, seus textos sao MARAVILHOSOS!

Patty