Wednesday, September 22, 2010

“Um homem nunca se banha no mesmo rio duas vezes. Na segunda, já não é o mesmo homem, nem o mesmo rio”.
Foi com esta frase em mente que me preparei pra voltar ao Brasil. Meu medo era estar dando um passo pra trás, regredindo – voltando a morar com os pais, trabalhando na mesma escola, na mesma profissão que me deixava tão insatisfeita. Porém a ideia contida nessa frase é tão verdadeira e me fez compreender que apesar de estar voltando ao mesmo lugar, ao mesmo trabalho, às mesmas pessoas que deixei... eu não sou mais a mesma, e a forma como vou lidar com minha velha-nova vida é que vai determinar meu progresso e minha felicidade.
Mas enfim, já estou aqui há um mês e foi tempo suficiente pra muita observação, muito pensar (razão das minhas dores de cabeça quase diárias) e sim, já tenho vontade de botar o pé na estrada novamente.
Primeiro pensamento ao me aproximar do sertão mineiro: “Estou em casa!” Seguido de “O quê que eu tô fazendo aqui?” Não me entendam mal, estou feliz por estar em casa, com minha família e amigos. Mas poxa vida, como está seco, sujo e feio aqui. Eu até sentia o gosto da poeira na minha boca. Isso mesmo: gosto de poeira!
Em segundo lugar, tive que desacelerar meu ritmo e me acostumar a não ter as coisas e lugares que eu gostava lá, assim como as pessoas e atividades que fazíamos. Mas isso está sendo remediado pelos fins de semana em família e pelos novos projetos.
Até hoje estranho como as ruas são estreitas, às vezes falo coisas em inglês sem querer e nunca vou me readaptar a essa sensação de insegurança e medo. Interessante como me senti mais confortável e segura vivendo em outro país, sozinha do que no meu próprio.
De vez em quando tenho a sensação de que estive dormindo esse tempo todo, tendo um sonho bom, e que agora acordei, como se eu nunca tivesse saído daqui. Mas as lembranças, amigos, e pricipalmente o aprendizado, a força e a coragem que adquiri não me deixam esquecer que essa experiência me transformou. Não sou a mesma pessoa e não me banho no mesmo rio.
(Ana Elisa)

7 comments:

Nicole said...

Guriah, você escreve muito bem. Por alguns instantes quase achei possivel sentir o que vc está passando!!!... Mas, de jeito nenhum! Nunca, NINGUÉM sentirá exatamente o que acontece contigo.
...nem fui au pair ainda... mas já estou com medo do sofrimento que virá depois!!
Que Deus cuide do seu coração!

Patty said...

Nossa, Ana, seus textos sao sempre em forma de espelho pra mim...

Nicole said...

Ana, orbigada pelo seu recado tbm.

Li este post e tive que escrever outro no meu blog.
Que medo dessa SAUDADE que vai bater!

Obrigada pelas suas palavras. Me senti mais motivada a fazer o programa de au pair!!

=)

Brunno Hot said...

Fico feliz e triste ao mesmo tempo.

Feliz por vc e triste pq daqui uns dias nos deixará novamente.

Mas sei que será feliz assim.

bjs

Augusta said...

Ana, adorei seu post!
Cheguei no USA a menos de duas semanas e nao consigo nem imaginar como sera a minha volta para o Brasil. Mas e otimo pensar que nao serei a mesma pessoa e que nao me banharei no mesmo rio. Adoro mudancas apesar de causarem um mega frio na barriga!

Boa sorte nessa nova fase da sua vida!

To te seguindo!

Beijo.

Fernanda said...

Prima, mas uma vez vc nos brinda com um texto maravilhoso.
Parabéns.

Alex (Lelé) Estará pelo Futuro Digitado em Poesias said...

Olá, Ana!

Não preciso nem lhe dizer, pois já sabes que vem de um bom tempo a minha admiração pelos textos que escreve.

Desde as primeiras edições do Extremo Norte, venho acompanhando seus textos e cada um é mais instigante que o outro.

Continue assim!

Um grande abraço.